Arquivo da tag: Festival e Feiras

Hortas Urbanas Coletivas | PAGAMA Social

Que São Paulo têm muita coisa logo_PAGAMA-social_Blogbacana e inusitada para ver e conhecer, isso já sabemos. Mas você sabia que em plena Avenida Paulista existe uma horta? Pois é! no Centro Cultural de São Paulo, localizado na Avenida Vergueiro, juntinho da Paulista, existe um espaço na cobertura destinado ao cultivo de ervas, legumes, frutas, flores e verduras, tudo orgânico. Este espaço, denominado horta comunitária é mantido por apoiadores e voluntários em mutirões coletivos mensais em que qualquer pessoa interessada pode ajudar. Os mutirões acontecem no último domingo de cada mês, 9h com café da manhã comunitário. | Rua Vergueiro 1000 – Paraíso  (11) 3397-4002

Ficamos curiosos e descobrimos outros lugares na cidade que cultivam hortas comunitárias. Veja alguns:

  • Feira de Orgânicos do Parque da Água Branca _ Todas às terças, sábados e domingos, das 7 às 12h. Tem bastante opção bacana e barata. Vale a pena conhecer. Ah! Em frente do local onde tem a feira, também tem café da manhã orgânico. | Av. Francisco Matarazzo, 455 – Perdizes  (11) 3875-2625
  • Horta do Ciclista _ Está localizada na Praça do Ciclista, próxima ao cruzamento de duas importantes vias de São Paulo, Av. Consolação e Av. Paulista, contrastando com o cenário de dinamismo econômico e individualista presente no entorno.
  • Horta Vegana _ A Horta Vegana fica a cerca de 200 m da Horta do Ciclista, na esquina da Av. Angélica com a Av. Paulista. Basta atravessar a Rua da Consolação para chegar lá. Nos mutirões os voluntários cuidam das duas hortas simultaneamente.
  • Horta da Vila Anglo _ A Horta da Vila Anglo é uma terra comunitária como a própria Terra! Sinta-se a vontade para nos visitar, participar e se inspirar! | Rua Rifaina, 274 – Vila Anglo – esquina com a Rua Pedro Soares de Almeida e travessa da Heitor penteado a 4 quadras do metro Vl. Madalena. Aos sábados a partir das 10h. Às terças-feiras a partir das 9h: atividades com mais de 50 crianças da associação do bairro.
  • Horta do BNH _ Localizado na Praça Maria Noeli Lacerda – Alto de Pinheiros, também conhecida como Praça do BNH. Os mutirões costumam acontecer aos Domingos, e são organizados através do Facebook _ Horta do Bê Ene Aga da Vila 

Achamos a iniciativa muito bacana, já que é uma forma de dar uso a espaços urbanos ou em edifícios subutilizados, incentivando a vizinhança local ao convívio social, educação ambiental e contemplação e responsabilidade que temos perante a cidade.  Tomara que a ideia se difunda e se espraie para todos os bairros da cidade.

Fontes: Sites das comunidades organizadoras.

PAGAMA arquitetura no VIII Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa.

A PAGAMA arquitetura foi selecionada e concorreu ao VIII Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa, nas categorias ‘Projeto de Interiores-Escritórios’ _ com o projeto da Nova Sede da PAGAMA arquitetura, e ‘Projeto Predial-Residencial’ _ com o projeto da Residência U.K.-Avaré.

Também selecionados e Concorreram ao prêmio grandes escritórios do mercado como Aflalo e Gasperini arquitetos, FGMF, Edo Rocha, Athié|Wohnrath associados, entre outros. Além da premiação, o evento contou com uma feira com empresas e fornecedores da área e exposição de todos os trabalhos concorrentes.

Abaixo, fotos do evento de premiação, que aconteceu na noite desta quarta-feira, dia 06/07, no Hotel Sheraton.

Arquiteta Gabriela C. Kleber com um dos projetos da PAGAMA arquitetura concorrentes à premiação.
Projeto da PAGAMA arquitetura em exposição, e o arquiteto Paulo H. Cuconati.

CATRACA LIVRE: Virada Sustentável promove palestras, workshops e oficinas.

Texto tirado do site – http://catracalivre.folha.uol.com.br/

Dois dias inteiros dedicados ao meio ambiente e à sua preservação.

Mais de 300 atrações espalhadas por 60 locais.

Inspirada na Virada Cultural, a Virada Sustentável promove nos dias 4 e 5 de junho mais de 300 atrações espalhadas por 60 locais da Grande São Paulo como parques, praças, museus e centros culturais.

Serão realizados shows, performances, exposições, oficinas e peças de teatro relacionadas à sustentabilidade. Todas as atrações têm entrada Catraca Livre e o conteúdo é todo relacionado a temas como consumo consciente, biodiversidade, direitos humanos, clima, energia e mobilidade.

Ainda no tema sustentabilidade, será realizado pelo Parque de Vivências Explora Mundi, o Festival da Sustentabilidade tem o objetivo de ensinar estudantes, professores e visitantes em geral formas de ser sustentável com criatividade.

Serão feitas oficinas pedagógicas e atividades artísticas. Grupos de escolas e empresas podem agendar um tour educativo para ser realizado durante a semana.

Mas o Festival também é aberto ao público, das 10h às 15h, a partir do final de semana que se comemora o Dia do Meio Ambiente, dias 4, 5, 25 e 26 de junho; e 2 e 3 de julho.

Temas como água, terra, animais em extinção, reflorestamento, lixo, reciclagem e efeitos da ação do ser humano no planeta serão o foco das atividades.

SERVIÇOS:

_VIRADA SUSTENTÁVEL

Quando: 4 e 5 de Junho de 2011.

Onde: 60 locais da Grande São Paulo como parques, praças, museus e centros culturais.

Programação: www.viradasustentavel.com

_ FESTIVAL DA SUSTENTABILIDADE

Quando: dias 4, 5, 25 e 26 de junho; e 2 e 3 de julho de 2011 – aberto ao público das 10h às 15h.

Onde: No Parque de Vivências – Estrada Nova Era, 320, em Arujá (30 minutos de São Paulo).

*Mais informações e agendamento pelo telefone (11)2941-7255 ou pelo e-mail logistica@eloin.com.

FOLHA: Sancionada lei que libera grafite e proíbe spray para menor de 18.

Texto tirado do site – http://www.folha.uol.com.br

A lei que proíbe a venda de tinta em spray para menores de 18 anos e estabelece que grafite não é crime foi publicada na edição de quinta-feira, 26/05, do “Diário Oficial da União”.

De acordo com o texto sancionado pela presidente Dilma Rousseff, fica definido também que os maiores de 18 anos devem apresentar documento de identidade para comprar a tinta em spray e que toda nota fiscal relativa a esse tipo de venda deve conter a identificação do comprador.

As embalagens das tintas ainda deverão destacar a expressão “Pichação é crime” e “Proibida a venda a menores de 18 anos”. Os fabricantes têm 180 dias para se adaptar.

A lei não altera a punição que já era prevista aos pichadores – multa e detenção de três meses a um ano, ou multa e detenção de seis meses a um ano quando a pichação for em monumento tombado. No entanto, o novo texto deixa claro que o grafite, quando autorizado pelo proprietário, não constitui crime.

De acordo com a lei, nesse caso se enquadra “prática de grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado mediante manifestação artística”.

Grafiteiros ouvidos pela Folha afirmam que a nova lei não vai mudar muita coisa na prática. Curador da Bienal Internacional de Grafite, Binho Ribeiro, 39, diz que, pela atual legislação, já é permitido pintar muros com autorização do dono. Para ele, o grafiteiro pego pintando em local sem autorização deveria responder por uma contravenção – como estacionar em local proibido.

RESENHA PAGAMA

O grafite é uma expressão artística que usa o meio urbano como objeto físico para expressar sua arte, assim como o pintor utiliza a tela, o escultor o barro e o arquiteto as edificações e cidades.

Em meio ao cinza dos prédios, do asfalto e ofuscados pelos reflexos das fachadas envidraçadas, é sempre agradável ver formas inusitadas e cores que avivam nossa visão e curiosidade. A arquitetura deveria fazer mais uso de intervenções como essas em substituição a materiais de acabamento, como ornamento ou intrínseco à forma e diretriz de projeto do edifício.

O meio urbano precisa de vivacidade, quebra de rotinas e paradigmas, precisa despertar curiosidade. E é através da arte que isso pode  acontecer. Além do grafite, existem outras manifestações artísticas que poderiam ser melhor exploradas e agregadas a nossas cidades. Veja alguns exemplos que destacamos.

Confira outras intervenções como estas em http://www.urbanscreen.com

ESTADÃO: Oca, metrô e ruas vão receber Bienal de Arquitetura.

Texto tirado do site – http://www.estadao.com.br

Fundação Bienal, que abrigava a mostra desde a primeira edição, em 1973, vetou evento deste ano no pavilhão do Ibirapuera.

A Bienal Internacional de Arquitetura (BIA) vai experimentar neste ano novos endereços em São Paulo. Após mais de seis meses de indefinição e com risco de ser adiada, a 9.ª edição da exposição vai ocupar pela primeira vez o prédio da Oca, no Parque do Ibirapuera. Outra novidade é que a mostra vai se estender por estações de metrô, ruas da capital e pelo interior. Desde 1973, todas as edições ocorreram no prédio da Bienal.

Marcada para novembro, essa será a primeira vez que a exposição ganha a rua. Segundo seus organizadores, a proposta vai de encontro com o tema deste ano: Arquitetura Para Todos – Construindo Cidadania. “Agora qualquer pessoa vai poder ver. Além do tema, queremos democratizar o público e não fazer um evento apenas para arquitetos”, diz a presidente do departamento paulista do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-SP), Rosana Ferrari.

As mudanças dessa edição da BIA começaram com o turbulento veto dos conselheiros da Fundação Bienal para que o instituto usasse seu pavilhão, também localizado no parque. A alegação era de que haveria uma exposição no mesmo período. A decisão da fundação – adiantada pelo Estado em setembro – provocou temores no mundo dos arquitetos. Além da dúvida da garantia da realização do evento, também estava em jogo uma questão de tradição.

A procura por um espaço terminou somente no começo deste mês. Depois de uma longa negociação, a Prefeitura de São Paulo cedeu ao IAB o prédio da Oca. Para o curador da BIA, o arquiteto Valter Caldana, a reviravolta teve também seu lado positivo. “A não realização no prédio da Bienal sacramentou o próprio caminho da exposição, marca uma nova fase”, diz ele, que é diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Mackenzie.

Cartaz da 9ª BiA de São Paulo, que será em novembro deste ano. | Divulgação

Tema. Caldana afirma que essa será a Bienal com maior rigor temático. Todo o material em exposição vai dialogar obrigatoriamente com o tema. “É extremamente abrangente. Queremos mostrar que habitação de interesse social também é arquitetura.” Ele ressalta, entretanto, que moradia popular não será o único foco. “Arquitetura e urbanismo são parceiros da sociedade, colaboram com a construção de cidadania. Seja em um empreendimento imobiliário que tenha preocupação com a cidade ou projetos de mobilidade urbana.”

Alguns eventos ao longo do ano já vão levar o selo da 9.ª BIA, como debates promovidos pela Prefeitura sobre a Concessão Urbanística Nova Luz, no centro. Mas a concentração de eventos fica para novembro.

Dentro de uma das propostas da exposição, a “arquitetura nela mesma”, quem anda pelas estações de metrô poderá entender o projeto daquela construção, por meio de maquetes e ferramentas interativas. A BIA também envolverá feiras de arquitetura nas ruas – com apresentação de projetos e maquetes. No interior, a Bienal estará presente nas unidades do Sesc.

Avanços. Na Oca, já está certo de que a BIA vai receber trabalhos de 22 países de todos os continentes. A escolha dos projetos tem sido feita por correspondentes fixos em cada país, mais uma novidade desta edição. Além disso, 12 países já confirmaram representações oficiais.

Depois de garantir a sede da Bienal, já considerada “uma vitória” para a direção do IAB, o instituto procura financiamento. A última Bienal, em outubro de 2009, enfrentou problemas como saída de patrocínio às vésperas do evento, grandes espaços vazios e convidados de renome abaixo do volume esperado. Segundo Rosana Ferrari, o custo da exposição fica entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões. “Temos já alguns apoiadores em contato e a Prefeitura, além de ceder a Oca, já se comprometeu em participar”, disse Rosana.

PARA LEMBRAR
Dívida motivou veto a mostra

A gota d’água para que a Bienal Internacional de Arquitetura (BIA) saísse do prédio da Fundação Bienal foi a cobrança de uma dívida de R$ 164 mil – referente à edição de 2009 -, que conselheiros da fundação exigiram do instituto.

A direção do IAB, por sua vez, questionou a cobrança, argumentando que a Fundação já havia ficado com parte de um valor pago por uma empresa que locou o espaço na ocasião. Apesar do descontentamento, o IAB-SP ainda tentou reverter a situação, até mesmo com empenho da Direção Nacional da entidade – que pela primeira vez se envolveu na BIA.

Desde 1993, o departamento paulista é responsável pela organização da mostra.

Reportagem de Paulo Saldaña – O Estado de S.Paulo

ARQ!BACANA: Festival de Jardins do MAM no Ibirapuera.

Texto retirado do site ARQ!BACANA – http://www.arqbacana.com.br

22/09/2010 até 31/12/2010 – Festival de Jardins do MAM no Ibirapuera

MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo | São Paulo, SP

 

 

 

 

 

 

Um dos mais importantes eventos de paisagismo do mundo, o “Festival Internacional de Jardins de Chaumont-sur-Loire”, acontece pela primeira vez fora da França, no MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, a partir do dia 22 de setembro.

No Festival de Jardins do MAM no Ibirapuera, edição concebida pelo MAM-SP e produzida em parceria com o Domaine de Chaumont-sur-Loire e a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, foram selecionados três artistas visuais brasileiros e nove paisagistas franceses, em um total de nove projetos que exploram o tema da alimentação do corpo e da alma. O evento tem curadoria de Felipe Chaimovich.

A abertura acontece às 10h do dia 22 de setembro, com uma breve apresentação acompanhada de café-da-manhã nas dependências do museu. Na sequência, será aberta a visitação aos jardins.

No dia 23 de setembro será realizada uma mesa-redonda debatendo temas relativos ao Festival com seus curadores, sob mediação de Magnólia Costa, das 18h às 20h.

Serviço:
– Festival de Jardins do MAM no Ibirapuera – Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 3 – São Paulo, SP.

– Abertura: 22 de setembro, a partir das 10h.
– Visitação: 22 de setembro a 31 de dezembro, das 5h às 22h.
– Mesa-redonda: 23 de setembro, das 18h às 20h.
– Entrada franca.
– Mais informações pelo telefone 11.5085.1300 ou pelo www.mam.org.br.